Com o apoio da Emater, festa de cacau e chocolate movimentou Medicilândia no fim-de-semana

300 produtores são atendidos diretamente no município 

08/07/2024 10h39 - Atualizada em 21/07/2024 15h56
Por Aline Miranda

De quinta-feira (4) até sábado (6), visitantes do XX Cacaufest e do III Festival do Chocolate, em Medicilândia, na Transamazônica, puderam conhecer melhor o trabalho que o escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) realiza com a agricultura familiar do município, considerado a “capital nacional” do fruto. Na atualidade, o Órgão atende de forma direta cerca de 300 famílias protagonistas da cadeia produtiva.

Sob parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura (Semagri) em um estande multiinstitucional dentro do Parque de Exposições Ubaldino Kruger, a Emater ofereceu chocolates artesanais para degustação e apresentou informações sobre cenário socioambiental, políticas públicas e oportunidades de negócios. A equipe da Emater também participou da condução de torneios, como o de quebra de cacau e melhor amêndoa. 

“É um momento diferenciado de visibilidade e valorização”, apontou o chefe do escritório local da Emater em Medicilândia, o técnico em agropecuária Sidevaldo Santana. 

Para o gestor, a junção de presenças e assuntos em torno do cacau, em eventos da grandiosidade dos de agora, seria indispensável para a busca de desentraves e soluções aos gargalos, como beneficiamento: “Pensamos na convergência de políticas públicas, por exemplo”, disse. 

História

Ali na prática, o agricultor Élido Trevisan, de 70 anos, atendido pela Emater há cinco décadas, considera o cacau em Medicilância, antes de tudo, “uma história e A história”: “O ponto de partida sempre fomos nós, produtores. Passamos muito tempo de esquecimento e desvalorização. Com a iniciativa de organização social, fomos atrás e estamos vencendo”, aponta um dos sócios-fundadores da Cacauway, fábrica de chocolate ligada à Coopatrans (Cooperativa Agroindustrial da Transamazônica). 

Com o apoio da Emater, os Trevisan transformaram os 50 mil pés de cacau em 65 hectares do Sítio Lindo Dia, na comunidade Nossa Senhora da Paz, em um laboratório a céu aberto, onde testam melhores variedades, às vistas de mais produtividade e de amêndoas mais robustas. A família empresaria duas marcas de subprodutos: “Sabor e Arte do Cacau”, com geléias e licores, e a mais recente, “Sílvia Patrícia”, de chocolate.  Os produtos estão sendo vendidos nos Festivais associados.

“Hoje o chocolate de Medicilândia é de excelência, então não tem lógica o cacau originário desse chocolate não ser de excelência também. Nosso desafio é intensificar a qualidade”, conclui. 


Cacaufest e Festival do Chocolate

Desde as primeiras edições, a Emater faz parte da organização do Cacaufest e do Festival do Chocolate - inclusive da programação prévia, iniciada um mês antes dos eventos em si, com mobilização das comunidades por meio de seminários e palestras. 

A promoção contínua é da Prefeitura, do Governo do Estado e do Governo Federal.